512.fw (6)

Rio reduz homicídios, mas ainda registra nove mortes por dia


Os homicídios dolosos no estado do Rio de Janeiro caíram 9% nos sete primeiros meses deste ano, na comparação com o mesmo período de 2020. No total, foram 1.975 mortes, chegando ao menor valor para os meses desde 1991, quando iniciou a série histórica do Instituto de Segurança Pública (ISP). Mesmo com esta queda, ainda há uma média de nove homicídios dolosos por dia no estado.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (20), pelo ISP. Em julho, foram registrados 249 homicídios, o que representa uma redução de 3% se comparado com julho do ano passado. Este também foi o menor valor para o mês desde 1991.

O indicador crimes violentos letais intencionais, que agrega homicídios dolosos, lesão corporal seguida de morte e latrocínio, teve queda de 8% entre janeiro e julho e de 4% em julho deste ano na comparação com 2020. Os dados são os mais baixos para o indicador desde 1999 tanto para o acumulado quanto para o mês.

Um dado que reforça os altos índices de homicídios no estado é a grande circulação de armas ilegais, principalmente fuzis, que têm um poder de letalidade muito maior do que armas curtas. Apenas no mês de julho, 560 armas foram apreendidas em todo o estado, sendo 24 fuzis. O número é 4% maior que o registrado no mesmo mês de 2020. Entre janeiro e julho, 4.248 armas foram retiradas de circulação, 240 delas, fuzis. Isso significa que, em média, mais de um fuzil foi apreendido por dia em 2021 no estado.

No combate à criminalidade, é grande o número de pessoas que perdem a vida em operações policiais, conhecido por morte por intervenção de agente do Estado. Foram 903 mortes nos sete primeiros meses de 2021 e 99 em julho. Na comparação com 2020, o indicador registrou aumento de 9% em relação ao acumulado do ano e aumento de 90% em relação a julho de 2020.

Os dados completos podem ser acessados na página do ISP na internet.



Agencia EBC

512.fw (6)